Artigos de membros do NCD são aprovados em conferência internacional

Os membros do Núcleo de Cidadania Digital (NCD) foram aprovados em dois artigos para serem apresentados na CISTI’2017 (Conferência Ibérica de Tecnologias de Informação), um evento técnico-científico que acontece anualmente em Lisboa, Portugal. A sua 12ª edição conta com a participação da comunidade acadêmica e empresarial e será realizada entre os dias 21 e 24 de junho deste ano.
 
“Gamification para promoção da inclusão sociodigital de idosos” e “Projeto Tela Cidadã: transparência pública, acesso democrático e cidadania”, foram escolhidos entre tantos outros para marcar presença no outro lado do oceano, algo que mostra a importância do trabalho realizado pelo Núcleo pois despertou interesse na Europa, uma grande potência política e educacional.
 
Os temas abordados nos artigos fazem parte do cotidiano do Núcleo. Em 2014, o NCD percebeu que o maior número de alunos era composto por idosos e realizou uma parceria com o projeto de extensão Universidade Aberta à Terceira Idade (UNATI), onde foi possível a formação de turmas voltadas para apenas este público. Nessas turmas, foi implementado o sistema de gamification, que torna o aprendizado mais dinâmico e menos monótono. “O gamification na verdade não é uma metodologia que é usada só para ensino, existe também nas empresas para estimular a competitividade, por exemplo. Mas quando se fala em gamification aplicado à educação, seria o uso de jogos usados para tentar fazer o aluno aprender. No caso do NCD, que trabalha com inclusão sociodigital, a ideia é fazer o aluno ter a familiaridade com o computador”, explica Jonas Fiorini, Diretor de Ensino e autor do artigo. “São formas de propor um desafio para o aluno, para ele ficar intrigado com aquilo e querer fazer uma pontuação maior, chegar na próxima fase”, complementa.
 
O outro artigo selecionado foi tratando do Tela Cidadã. Nele os responsáveis apresentam o projeto, explicam o cenário que está inserido, os motivos que levaram a sua criação e a metodologia usada para colocá-lo em atividade. Hudson Lupes, ex-membro da equipe de Projetos e Inovação do NCD e autor do artigo, dá ênfase ao objetivo importante do tema da publicação: “Escrevemos tudo que acreditamos no sentido de melhorar a participação da população e incentivar que o cidadão comum, do dia-a-dia, que não se interessa pelo assunto, se torne um agente político na sua comunidade, na sua região, e também entenda a sua responsabilidade em relação ao trabalho dos governantes que elege. É importante também garantirmos a atuação do cidadão não só durante o período eleitoral, mas também durante o decorrer da vivência de cada um dentro do seu bairro, da sociedade”.
 
Com esses dois artigos de assuntos relevantes e pertinentes atualmente, as equipes garantem o seu direito de apresentação no continente europeu, mostrando que a produção capixaba está realizando um trabalho de relevância para a sociedade, pois despertou interesse e conquistou seu lugar entre tantos outros artigos submetidos. “É ter seu trabalho reconhecido internacionalmente. Você fez algo que não é só bom aqui no estado, aqui no Brasil, é bom para o mundo inteiro. Ainda mais nessa conferência que é ibérica, que une Brasil, Europa e vários países. O nosso trabalho daqui do Brasil, do Espírito Santo, do NCD, foi escolhido para estar no meio de doutores. É muito gratificante”, comemora Jonas com a conquista.
 
Para a publicação do artigo ser efetivada, há a necessidade de que pelo menos um autor de cada artigo vá apresentá-lo no evento. Diante do desafio, surgiu a ideia de Crowdfunding. A ação consiste em arrecadar recursos por meio de plataforma de financiamento coletivo, disponibilizada na Web, onde qualquer pessoa pode ajudar com um valor. “A expectativa é ir pra lá, conseguir reunir os recursos, que é um valor bem alto. Participar, dar a nossa contribuição, aprender bastante com os outros projetos desenvolvidos a nível de Europa, fazer contatos para melhorar a nossa atuação e também exportar o que fazemos para que as pessoas de outros países possam atuar e incentivar a população a participar da política, relata Hudson.
 
Já Talísia comenta que está com uma perspectiva boa sobre a arrecadação: “Será um desafio conseguir essa verba no prazo curto que temos. Mas estamos esperançosos, e dedicando esforços para conseguirmos enviar Hudson como representante do artigo do Tela e Marinês, de ensino”.
 
Além da visibilidade e oportunidade pessoal e profissional, os alunos da Universidade Federal do Espírito Santo podem trazer para o estado a experiência de compartilhamento de um vasto conhecimento com os estrangeiros, dispersão de ideias, além de novos contatos.
 
A participação nesse congresso contribuirá significativamente para a inclusão sociodigital, conscientização política e fará o estado melhorar as metas de crescimento intelectual da população, dando-lhes a oportunidade de usufruir de um serviço de grande qualidade oferecido pelo Núcleo.
 
Para ajudar no financiamento coletivo, basta acessar o link no Catarse e contribuir com o valor desejado. Caso não seja possível contribuir monetariamente, é de grande ajuda compartilhar a ação nas redes sociais!